quinta-feira, 28 de maio de 2009

Nosso Banner!

Índice que reajusta aluguéis tem terceira deflação seguida.

IGP-M ficou em -0,07% em maio e acumula taxa de 3,64% em 12 meses.
Preços ao consuA notícia é boa para quem mora de aluguel: o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), usado para calcular o reajuste da maioria desses contratos, registrou em maio sua terceira deflação mensal consecutiva, de 0,07%. Com a queda, a taxa acumulada em 12 meses recuou para 3,64%. No ano, já está deflacionária em 1,14%.



midor tiveram alta menor que a do mês anterior, de 0,42%.
Apesar de negativa, a taxa de maio ficou acima da registrada no mês anterior, de -0,15%. Nos primeiros cinco meses do ano, apenas a taxa de fevereiro ficou positiva, em 0,26%.

Os preços por atacado caíram menos em maio, com a taxa passando de -0,44% para -0,30%, mas seguiram influenciado a deflação do IGP-M. No corte por origem, a taxa dos produtos agropecuários passou de 0,84% para 0,24%, enquanto a dos produtos industriais subiu de -0,85% para -0,48%.

Entre os produtos, as maiores influências de baixa no atacado vieram da laranja, que ficou 13,26% mais barata, e do ovo, cujo preço caiu 8,55%.

Preços ao consumidor

A alta dos preços ao consumidor, que vinha registrando aceleração, perdeu força este mês. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) recuou de 0,58% para 0,42%.

A principal contribuição para esta queda veio dos preços dos alimentos, que caíram em média 0,19%, seguindo uma alta de 1,13% no mês passado. Mamão e manga, cujos preços caíram 12,09% e 14,74%, respectivamente, exerceram as maiores influências de queda sobre o IPC.

Os gastos com transporte também caíram no mês, com a taxa do grupo registrando deflação de 0,21%, depois de uma taxa também negativa em 0,16% em abril.

No sentido contrário, tiveram alta em suas taxas de variação os grupos despesas diversas (de 1,69% para 3,97%), habitação (de 0,33% para 0,63%), vestuário (de 0,44% para 0,67%), educação, leitura e recreação (de ‐0,17% para 0,03%) e saúde e cuidados pessoais (de 0,82% para 0,90%).

Terceiro componente do IGP-M, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou, em maio, variação de 0,25%, acima do resultado do mês anterior, de ‐0,01%.

Nos EUA, Alencar obtém autorização para passar por novo tratamento contra câncer.


Vice-presidente receberá novo medicamento.
Tratamento ataca células que provocam o tumor.

O vice-presidente da República José Alencar recebeu, nesta quarta-feira (27), autorização para passar por um novo tratamento contra o câncer no hospital MD Anderson, em Houston, nos Estados Unidos. Ele deverá ficar entre sete e dez dias no país.




Alencar chegou em Houston por volta das 10 horas desta quarta (horário de Brasília). Ele descansou poucas horas no hotel e, no começo da tarde, seguiu para o hospital, o maior centro de tratamento e pesquisas de câncer do mundo.



O vice-presidente, de 77 anos, se ofereceu para ser tratado com um novo medicamento, que já foi testado, com sucesso, em 30 pacientes. Diferentemente da quimioterapia, o remédio ataca apenas as células que provocam o tumor, evitando que elas continuem a agir. No hospital, ele passou por consultas e novos exames complementares.

"Estamos nos oferecendo para participar do programa. Esse oferecimento, ainda que possa redundar em benefício para todos, para o desenvolvimento do medicamento, é de meu interesse porque, afinal de contas, isso pode ser a minha cura", disse.

Jovem que vendeu virgindade pode perder mais da metade para impostos


Fisco alega que o leilão da virgindade se 'equivale à prostituição'.
Vencedor do leilão, italiano pagou R$ 28 mil pela 1ª vez da jovem.

As autoridades fiscais da Alemanha pretendem reivindicar cerca de 50% do dinheiro que a romena Alina Percea, de 18 anos, recebeu após leiloar sua virgindade em um site na internet, segundo reportagem do jornal inglês "Daily Mail".


O fisco alemão alega que o leilão da virgindade da jovem se "equivale à prostituição". "A prostituição não é ilegal na Alemanha, mas não pagar impostos sobre os ganhos é", disse um fiscal, que não teve o nome revelado pelo jornal.

Alina Percea, que estuda na Alemanha, vendeu sua virgindade por 8,8 mil libras (cerca de R$ 28 mil). O vencedor do leilão foi um italiano de 45 anos. Além dos R$ 28 mil, o empresário de Bolonha pagou as despesas para a jovem viajar até Veneza, onde eles passaram uma noite em um hotel de luxo.

O fisco alemão está analisando seu caso. Mas, se o leilão for considerado uma prática de prostituição, a jovem terá que pagar cerca da metade da quantia que ganhou em taxas. Segundo o jornal, ela terá que pagar impostos mesmo que seja considerada uma profissional fornecedora de momentos eróticos.

De acordo com o funcionário do fisco citado pelo "Daily Mail", teria sido melhor se ela tivesse mantido segredo sobre a transação. Além disso, como ganhou uma quantia elevada em tão pouco tempo, Alina terá que pagar 19% sobre o valor.

Conforme o periódico, após o pagamento dos impostos, ela pode terminar com pouco mais de 3 mil libras (R$ 9,5 mil). "Quando tivermos os dados brutos, poderemos fazer uma avaliação rigorosa", disse um porta-voz da Inland Revenue (receita pública).


Confira o Tempo Hoje

Novidades Informática